Feijoada do Macho Cozinha 2

E aí pessoal? Tudo beleza? Hoje vou continuar o relato de como foi minha saga da preparação da feijoada para 50 pessoas. Semana passada postei aqui como eu fiz a farofa e a feijoada propriamente dita, mas hoje irei contar (e ensinar) como fiz a couve e o torresmo.

Para a couve vocês vão precisar de:

  • 10 maços de couve,
  • 10 colheres de sopa de manteiga,
  • 10 colheres de sopa de alho picado,
  • sal a gosto.

Para o torresmo vocês vão precisar de:

  • 3 Kg de barriga suína (também conhecido como panceta),
  • 30 gramas de alho desidratado,
  • 200 ml de cachaça,
  • 200 ml de óleo.
  • sal a gosto.

PRIMEIRO VAMOS FALAR DA COUVE

Por ser uma quantidade grande de couve (10 maços) resolvi, para facilitar minha vida, comprá-la já cortada em tiras. Essa forma de ser vendida a couve (cortada em tiras) é fácil de ser encontrada nas feiras livres, em quitandas e até mesmo em alguns mercados,porém, para vocês que vão fazer pouca quantidade de couve, vou ensinar o passo o passo para cortá-la em tirinhas.

Com ajuda de uma tábua e uma faca cortem os talos centrais da couve (figuras 1 e 2).

 Figura 1 – Façam o corte bem rente ao talo central.

Figura 2 – Após realizarem os dois cortes, retirem o talo central.

Após retirarem os talos de todas as folhas do couve, ponham uma sobre as outras (figura 3) e enrolem todas de uma vez buscando fazer um formato de charuto (figura 4).

Figura 3 – Coloquem um as folhas uma sobre as outras em uma tábua.

Figura 4 – Enrolem as folhas bem apertadas.

Com auxílio de uma faca façam cortes nesse rolo de couve, grossos ou finos conforme o gosto de vocês, como se estivessem cortando fatias de um rocambole (figuras 5 e 6). Façam com todos os maços de couve.

Figura 5 – Se sentirem dificuldade, enrolem poucas folhas por vez.

Figura 6 – Cortem tudo até o final.

Coloquem toda a couve fatiada numa peneira e lavem com água da torneira. Em seguida despejem o equivalente a um litro de água quente por cima de cada maço de couve cortado (figura 7) para amolecê-la um pouco, e, também, retirar um pouco do sabor amargo da couve. No meu caso, com se tratavam de dez maços, para não perder tempo esquentando dez litros de água, resolvi “mergulhar”, aos poucos, cada maço de couve  em uma panela com água quente (figura 8).

Figura 7 – Couve já cortada e escaldada.

Figura 8 – A finalidade é só dar um “susto” na couve.

Com toda a couve escaldada vamos agora refogar. Coloquem numa frigideira uma colher de sopa de manteiga e uma colher de sopa de alho (figura 9) e quando manteiga derreter coloquem um maço de couve e deixem refogando por uns 5 minutos (figura 10) ou até perceberem que ele murchou e reduziu o volume. No meu caso, como estava usando uma frigideira grande, refoguei dois maços de uma vez só.

Figura 9 – A proporção é sempre uma colher de sopa e uma de alho para cada maço de couve.

Figura 10 – Após uns 5 minutos refogando na manteiga e  no alho, sua couve estará pronta para consumo. 

AGORA VAMOS FALAR DO TORRESMO.

Peguem a panceta e cortem cubos pequenos de aproximadamente dois centímetros (figura 11). Em seguida coloquem esses cubos numa tigela e temperem com 30 gramas de alho desidratado (figura 12), 200 ml de cachaça (figura 13) e 1 colher de sopa de sal (figura 14). Após colocar todos os temperos, deixem descansando por, no mínimo, meia hora e depois estará pronto para fritar.

Figura 11 – Panceta, barriga ou toucinho… vários nomes diferentes conforme a região do país.

Figura 12 – alho desidratado é facilmente encontrado no setor de temperos dos mercados.

Figura 13 – O sal é a gosto, mas como sugestão eu coloquei uma colher de sopa.

Figura 14 – A cachaça é o segredo para deixar o torresmo sequinho.

Meus amigos, vou confessar para vocês… Eu adoro torresmo!!! Porém eu não gostava nada de fazer pela sujeira que fazia no fogão e até na cozinha. Isso mesmo FAZIA!!! Há alguns dias atrás descobri na internet a melhor maneira de preparar o torresmo, diria até que é a melhor maneira das galáxias!!!! É feito na panela de pressão.

Uma das coisas naturais que acontecem quando fritamos o torresmo numa panela normal é que quando a pele do porco começa a estourar (ou pururucar para mineiros), junto com esse estouro vem sempre uns pingos generosos de óleo para para fora da panela sujando todo o fogão, o chão e até as paredes. Como a panela de pressão é alta e fica muito bem fechada, todo esse óleo que respinga fica retido nas paredes e na tampa da panela!!!!

A única coisa que vocês não podem esquecer é de TIRAR A BORRACHA DA PANELA DE PRESSÃO NO MOMENTO QUE FOREM FRITAR O TORRESMO.

Coloquem o óleo na panela, deixem esquentar por um minuto em fogo alto e logo em seguida coloquem toda a panceta temperada na panela de pressão (figura 15)

Figura 15 – Naturalmente a gordura da panceta irá derreter e auxiliar na fritura do torresmo.

Fechem a panela de pressão com a tampa SEM A BORRACHA e esperem uns cinco minutos. Após esse tempo (pode variar conforme a intensidade da chama do seu fogão) é possível que vocês comecem a ouvir os estouros do torresmo. Abram com cuidado a panela e mexam com uma colher de bambu (figura 16) para que os torresmos mudem de posição dentro da panela e com isso estourem mais rápidos (raciocínio semelhante ao milho no momento que fazemos pipoca).

Figura 16 – Usei uma escumadeira grande, pois minha colher de bambu era pequena para a quantidade de torresmo.

Repita essa operação por mais duas ou três vezes (varia conforme a intensidade da chama de cada fogão) e após aproximadamente 15 minutos os torresmos estarão bem douradinhos (figura 17). Retirem do óleo quente usando uma escumadeira e coloquem num papel toalha para escorrer (figura 18) e sirvam acompanhado de limão (figura 19).

Figura 17 – Uma dica para saber quando está bom, é deixar de ouvir os estouros dentro da panela.

Figura 18 – Acreditem fica muito sequinho!!! E delicioso!!!

Figura 19 – Servidos?

VAMOS TENTAR?
AOS TALHERES!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.