Feijoada do Macho Cozinha

E aí pessoal? Tudo beleza? No dia 15 de julho foi meu aniversário de 40 anos. E como tenho dito desde o começo das preparações do evento… 40 anos e é só o começo!

Para comemorar o meu aniversário, resolvi convidar uns amigos para comer uma feijoada feita por mim.

Já havia feito feijoada algumas vezes e me sentia seguro para fazer novamente, porém assumi um risco, pois nunca tinha feito para uma quantidade tão grande de pessoas. Deu tudo certo! E agora vou relatar (e ensinar também, claro) a minha saga da preparação da Feijoada para 50 pessoas.

Para essa postagem não ficar muito pesada com várias receitas (feijoada, farofa, couve, torresmo e arroz), vou dividir em duas partes. A de hoje irei falar e ensinar a feijoada propriamente dita e a farofa, e no próximo post irei ensinar o restante.

Outra detalhe importante. Sempre ensino minhas receitas como se eu estivesse batendo um papo com vocês (façam isso, acrescentem aquilo, refoguem tal coisa…), porém como irei narrar como fiz essa feijoada, pode parecer que não estou ensinando, mas na verdade eu estarei sim. É só seguirem os mesmos passos que fiz e reduzirem as quantidades proporcionalmente para quantidade de pessoas que desejam, estamos combinados?!

Para a feijoada vocês vão precisar de:

  • 4 Kg de feijão,
  • 3 kg de lombo suíno,
  • 2,5 Kg de calabresa,
  • 3,5 Kg de carne seca,
  • 2 Kg de Costela salgada,
  • 1,3 Kg de bacon,
  • 3 cebolas raladas,
  • 6 colheres de sopa de alho,
  • 200 ml de óleo,
  • sal a gosto.

Para a farofa vocês vão precisar de:

  • 2,5 de farinha de mandioca,
  • 10 colheres de sopa de manteiga,
  • 10 colheres de sopa de azeite,
  • 10 colheres de sopa de cebola ralada,
  • 5 colheres de chá de sal,
  • 1 linguiça calabresa picada,

Como fazer:

Pessoal, apesar de minha cozinha ser um dos ambientes da casa que mais gosto, e o que mais faço investimento financeiro, eu ainda não possuo um fogão industrial. Também não possuía uma panela de pressão que cozinhasse 4 kg de feijão cozidos. A solução que dei foi fazer algumas comidas em panelas separadas e por partes.

COMEÇANDO PELA FEIJOADA

Uma boa feijoada deve ter seu preparo iniciado dois dias antes do dia do evento. Para isso retirei as carnes dos pacotes (figura 1), piquei em pedaços menores e coloquei de molho na água para dessalgar até o dia seguinte, trocando à cada oito horas essa água por uma água fresca.

Para que as carnes depois de cozidas não “sumissem” dentro do feijão, cortei as linguiças com a espessura de dois centímetros e as carnes em cubos de cinco centímetros.

Figura 1 – Uma faca bem afiada irá facilitar demais sua vida nessa tarefa, afinal são mais de 12 Kg de carne.

Na véspera do evento é o dia em que vocês irão preparar a feijoada propriamente dita, pois com esse tempo de antecedência, o feijão irá incorporar melhor os sabores das carnes e dos temperos.

Numa panela de pressão eu coloquei uma quantidade de todos os tipos de carnes cortados em cubos, proporcional ao tamanho da panela (figura 2) e uma parte do feijão (figura 3). Misturei tudo para que ficassem bem incorporados uns aos outros dentro da panela (figura 4), cobri tudo com água, tampei cuidadosamente e levei ao fogo médio para cozinhar por 40 minutos sob pressão.

Figura 2 – Uma quantidade de carnes, proporcional ao tamanho da panela de pressão.

Figura 3 – Da mesma forma uma quantidade de feijão proporcional ao tamanho da panela de pressão.

Figura 4 – Misture tudo.

Vocês podem estar se perguntando o motivo pelo qual não informei, com precisão, a quantidade de carne e feijão que coloquei na panela de pressão, porém, como disse no início, foram quatro quilos de feijão e mais de doze quilos de carne que foram cozidos.

Para tal empreendimento eu utilizei por duas vezes, quatro panelas de pressão de tamanhos diferentes, sendo três normais e uma elétrica (figura 5) ou seja, foram quatro cozimentos e depois mais quatro cozimentos.

 

Figura 5 – Quase uma operação de guerra.

Após quase cinco horas de cozimento de todo o feijão e das carnes, faltava apenas refogar tudo isso. O ideal para essa tarefa seria refogar tudo numa mesma panela, porém uma suficientemente grande para toda essa quantidade de comida, eu não tinha em casa.

Após alguns ligações telefônicas e muita boa vontade de amigos, consegui um caldeirão emprestado no serviço de aprovisionamento do quartel em que trabalho. Acontece que essa caldeirão é feito para ser utilizada em fogão industrial, que como disse no início do post, eu ainda não possuo. Confesso que até tentei usar a chama central do meu fogão para fritar os temperos, mas não obtive sucesso.

Como solução resolvi preparar o refogado em uma frigideira grande que eu tinha em casa (figura 6) e somente depois de tudo bem frito, acrescentei ao feijão cozido (figura 7).

Figura 6 – Refogado de 200 ml de óleo, 300 gramas de bacon, 3 cebolas raladas e 6 colheres de sopa de alho.

Figura 7 – Caldeirão com o feijão cozido e o refogado.

A feijoada estava pronta. Como fiz de véspera deu tempo suficiente para que o feijão incorporasse o gosto das carnes e, principalmente, o gosto dos temperos refogados. Em relação ao sal, para o meu gosto, ficou perfeito! Não achei necessário colocar mais, pois o sal das carnes salgadas foram suficientes para temperá-la.

 

AGORA A FAROFA

Como fiz 2,5 kg de farofa, optei por fazer 500 gramas por vez. Em uma frigideira grande em fogo médio, adicionei duas colheres de sopa de manteiga e duas colheres de sopa de azeite e quando a manteiga estava quase toda derretida acrescentei as duas colheres de cebola (figura 8) 

Figura 8 – Manteiga, azeite e cebola… simples assim!

 Quando a cebola ficou bem fritinha na manteiga e no azeite, de imediato acrescentei 500 gramas de farinha de mandioca (Figura 9) e em seguida mexi com uma colher de bambu para que a farinha ficasse torrada na manteiga e no azeite. Por fim, para o meu gosto,  acrescentei uma colher de chá de sal para temperá-la.

Figura 9 – Coloquem todo o pacote de farinha.

Figura 10 – Uma colher de chá de sal, para mim, foi suficiente.

A farofa já estava pronta. Para deixá-la ainda mais gostosa, piquei uma linguiça calabresa em pedaços bem pequenos e fritei numa frigideira em duas colheres de sopa de manteiga (figura 11). quando estavam bem fritas, escorri num papel toalha (figura 12) e após isso acrescentei na farofa já pronta (figura 13).

Figura 11 – Linguiça calabresa fritando.

Figura 12 – Linguiça frita na farofa é tudo de bom.

Figura 13 – Farofa já estava pronta, mas com a linguiça ficou mais gostosa.

 

Por  enquanto é só! aguardem o próximo post com o restante da receita.

VAMOS TENTAR?
AOS TALHERES!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.