Strogonoff básico

E aí pessoal? Tudo beleza? Hoje vou ensinar um dos pratos mais legais de ser feito, pelo menos para mim. Esse prato fez parte de minha infância, pois minha mãe sempre fazia quando recebia amigos do trabalho em casa.

Cresci tendo como referência de comida sofisticada o Strogonoff ou Estrogonofe (como queiram). Lembro até hoje, que ela fazia um “auê” no passo a passo dessa receita, porque naquela época, o Strogonoff era um daqueles pratos que era servido em mesas de banquetes. No entanto, hoje é um prato do dia a dia, chegando a ser trivial em algumas casas. 

Hoje não faço mais a mesma receita que minha mãe fazia, até uso alguns ingredientes que ela usava (vinho tinto por exemplo), mas não uso outros que só vi na receita dela (como o palmito).

Amigos iniciantes, essa é mais uma das receitas que serve para vocês agradarem a esposa dizendo ” – Hoje o almoço/jantar é por minha conta”  e também para impressionar os amigos chamando-os  para uma refeição na casa de vocês (como minha mãe fazia), é uma receita relativamente barata (depende da carne que escolher) e não é tão difícil de fazer.

Vocês vão precisar de:

  • 1 Kg de carne (alcatra, maminha, melhor será com filé mignon),
  • 50 g de bacon cortado em cubinhos (opcional),
  • 1 cebola grande ralada no ralo grosso,
  • 1 xícara de chá de vinho tinto SECO, preferencialmente um vinho de qualidade,
  • 3 colheres de sopa de alho picado,
  • 4 colheres de sopa de catchup,
  • 200 g de cogumelo DRENADO (atenção ao peso impresso no pote tem que ser o peso drenado!!!),
  • 1 sachê de molho de tomate,
  • 2 latas de creme de leite (lata, ok ?! não a caixinha), e
  • Sal a gosto.

Como fazer:

Diversos mercados já vendem carnes cortadas em cubos para strogonoff, na única vez que comprei me arrependi, pois os cubos eram enormes. Sempre que faço essa receita prefiro comprar a carne em bifes e cortar em cubinhos (figura 1).

Figura 1 - Bifes em cubos

Figura 1 – Bifes cortados em cubos.

O corte da carne em cubinhos à partir do bife é bem tranquilo, peguem o bife e cortem em tiras (figura 2). Após isso juntem essas tiras e cortem no sentido perpendicular aos cortes feitos anteriormente, dessa forma vocês terão cubinhos bem pequenos (figura 3).

Figura 2 - Carne em tirinhas

Figura 2 – Carne em tirinhas.

Figura 3 - Carne em cubinhos

Figura 3 – Tiras de carne em cubinhos de carne.

Coloquem toda a carne em um recipiente e temperem com o alho picado, as colheres de catchup e o sal (lembrem-se sal a gosto, porém como referência usei duas colheres de chá) e após isso reservem (figura 4) .

Figura 4 - Temperos misturados na carne

Figura 4 – Temperos misturados na carne.

Numa panela grande coloquem o bacon picado e acendam o fogão em fogo alto. Depois de um tempo vocês perceberão que a gordura do bacon irá “derreter” e começar a dourar o bacon, quando ele tiver bem douradinho coloquem a cebola para refogar. Caso vocês tenham optado por não usarem o bacon, façam o mesmo procedimento substituindo o bacon por duas colheres de manteiga.

Quando vocês colocarem a cebola, ela irá inicialmente “aguar” e aos poucos ficará bem douradinha, nesse momento ainda com o fogo alto, coloquem as carnes reservadas.

Com ajuda de uma colher de bambu ou silicone, misturem tudo dentro da panela para que todos os ingredientes incorporem uns aos outros. Vocês perceberão que a carne também irá começar a “aguar” e criar uma grande quantidade de líquido dentro da panela, continuem mexendo por cinco minutos em fogo alto até que metade desse líquido evapore.

Feito isso, incluam a xícara de vinho e naturalmente evaporará e é nesse momento que vocês irão ouvir da sua esposa ou de seus amigos “- Nossa que aroma maravilhoso! “

Com o vinho incluído, abaixem para fogo médio e mexam os ingredientes na panela, para que o vinho evapore um pouco mais e reduza o volume. Vocês verão que irá surgir tanta água que quase cobrirá toda a carne, deixem a panela nessas condições por uns 5 a 8 minutos (figura 6).

 

Figura 6 - Tudo junto e misturado

Figura 6 – Deixe a carne “aguar”.

Quando a água reduzir pela metade será momento de colocar o molho de tomate. Nesse ponto da receita vou falar sobre minha opção pelo molho de tomate.

Em muitas outras receitas vocês verão que ao invés do molho de tomate é utilizado o catchup, EU opto sempre pelo molho de tomate por considerar que é o que mais tem sabor de tomate e só, já o catchup além do tomate são adicionados sal, vinagre, condimentos e especiarias e/ou aromatizantes, cebola e/ou alho, sendo o produto geralmente adoçado com sacarose, xaropes de glicose ou misturas destes.

Deixo claro que não é que eu não goste de catchup, mas na MINHA opinião o catchup no strogonoff tira o sabor de todos os outros ingredientes, entenderam?

Voltando… Após a água reduzir pela metade, coloquem o sachê de molho de tomate (tem de 300 g  e 340 g, não faz diferença), e mexam com uma colher de bambu até tudo ficar bem vermelho e após isso coloquem o cogumelo drenado com auxílio de uma peneira ou qualquer outro utensílio que a substitua  (figuras 7 e 8).

Figura 7 - Carne já com molho de tomate aguardando o cogumelo

Figura 7 – Carne já com molho de tomate aguardando o cogumelo.

Figura 9 - Quase pronto

Figura 8 – Quase pronto.

Se vocês forem servir de imediato coloquem as 2 latas de creme de leite na panela, porém se forem demorar um pouco, coloquem o creme de leite somente na hora de servir.

DICA: não esquentem demais o strogonoff já com o creme de leite dentro, pois se fizerem isso poderão talhar o creme de leite e perderem a comida. Para não correrem este risco esquentem tudo e no final coloquem o creme de leite na panela mexendo por uns dois minutos até dar aquela cor característica de strogonoff, uma sugestão para servir é com arroz branco e batata palha (figura 9).

Figura 9 - Servidos?

Figura 9 – Servidos?

 

VAMOS TENTAR?
AOS TALHERES!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.