Salpicão de peru


E aí pessoal? Tudo beleza? A receita de hoje foi feita por sugestão do seguidor e amigo Chef André Montani que sempre trabalha um bocado para as ceia de Natal, mas que por ocasião das ceia de reveillon curte mais tempo com a família longe do fogão, pois faz um reaproveitamento das sobras da ceia de natal.

O salpicão é uma comida que pode ser feita em qualquer época do ano e com sobras de qualquer ave assada, frango, pato, codorna e, principalmente no final do ano, o chester e o peru.

A receita que irei ensinar é a mais básica de todas, pois como estava fazendo para meus filhos comerem, além do peru desfiado não incluí ingredientes diferentes dos usuais.

Vocês irão precisar de:

  • Aproximadamente 300 gramas de carne de peru,
  • 2 batatas,
  • 1 cenoura,
  • 2 colheres de sopa de manteiga,
  • 1 colher de sopa de alho picado,
  • 1 cebola ralada,
  • noz moscada,
  • 1/2 xícara de chá de milho escorrido,
  • 1/2 xícara de chá de maionese.

Como fazer:

Descasquem as batatas e as cenouras (figura 1), ralem a cenoura no ralo grosso do ralador (figura 2), cortem as batatas em cubinhos bem pequenos (figura 3) e cozinhem por cinco minutos após levantar fervura (figura 4).

Figura 1 – Batatas e cenouras de tamanho mediano.

Figura 2 – Ralem a cenoura crua no ralo grosso do ralador.

Figura 3 – Para cortarem em cubinhos pequenos, cortem primeiro a batata em palitos.

Figura 4 – Após cozinhar é só escorrerem e reservarem. 

Separem aproximadamente três xícaras cheias de carne de peru (aproximadamente 300 gramas) e desfiem em pedaços ainda menores (figura 5).

Figura 5 – Aproveitem todas as carnes peru, lembrem-se que, via de regra, o peito foi “atacado” na ceia de natal.

Ralem uma cebola (figura 6)  e reservem. Numa frigideira coloquem as duas colheres de sopa de manteiga e quando derreter incluam o alho (figura 7) e na sequência a cebola relada (figura 8).

Figura 6 – Adorei esse ralador da minha sogra, por pouco ele não foi parar “sem querer” aqui em casa.

Figura 7 – Alho com manteiga.

Figura 8 – A cebola é na sequência.

Misturem bem e quando parte da manteiga secar incluam o peru desfiado (figura 9). Deixem o peru refogar por três minutos em fogo alto e após isso abaixem o fogo e incluam a cenoura crua ralada (figura 10). Deixem por mais cinco minutos mexendo e misturando tudo na frigideira (figura 11) e antes de desligarem, incluam uma pitada de noz moscada por cima do refogado (fiquei devendo essa foto).

Figura 9 – Peru desfiado para refogar.

Figura 10 – Cenoura ralada para cozinhar junto com o peru refogado.

Figura 11 – Ao final do tempo sugerido é com essa aparência que deverá estar seu refogado.

Transfiram o conteúdo da frigideira para uma tigela (figura 12), incluam a batata em cubinhos já cozida (figura 13), o milho escorrido e por fim a maionese (figura 14). Misturem bem os ingredientes (figura 15) e na hora de servirem coloquem batata palha por cima de tudo (figura 16).

Figura 12 – Tudo na tigela.

Figura 13 – A batata cozida escorrida.

Figura 14 – O milho escorrido.

Figura 15 – Por fim a maionese.

Figura 16 – Tudo junto e misturado.

Figura 17 – Servidos?

Alguns esclarecimentos e sugestões:

Primeiro: Cozinhei a batata em cubos por apenas cinco minutos, pois quando ela for misturada com tudo ao final é necessário que a consistência dela esteja mais firme (ou dura) para que a colher que estiver misturando não amasse demais ela e se transforme em purê.

Segundo: Em várias receitas que vocês forem procurar na internet, vocês verão que a batata palha também é misturada com tudo antes mesmo da maionese. Eu não gosto de fazer isso, pois caso sobre salpicão para outro dia, essa batata palha estará mole depois de tanto tempo na geladeira e não dará mais aquela crocância ao salpicão.

Terceiro: Como disse fiz um salpicão básico, mas vocês podem incluir também salsão picado (uma xícara de chá nessa receita é o suficiente), presunto ou tender picado (meia xícara de chá nessa receita é o suficiente) e ainda, para aqueles que gostam, uva passa, damasco seco picado ou maçã verde picada.

VAMOS TENTAR?
AOS TALHERES!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.