Medalhão com arroz à piamontese tradicional

E aí pessoal? Tudo beleza? Hoje vou socorrer um amigo que está particionado de um “concurso de jantares” entre casais amigos. Após participar de dois jantares de sucesso na casa dos amigo, está chegando a sua vez dele receber seus “concorrentes”.

Minha sugestão inicial tinha sido um Risoto Marguerita por ser muito gostoso e diferente do trivial, porém ele me pediu para mostrar uma receita mais tradicional e por essa razão escolhi o Medalhão de filé mignon com arroz à piamoentese.

Vocês devem lembrar que há quase dois anos atrás eu postei uma receita de arroz à piamontese aqui no blog, mas era uma receita fácil, rápida e feita com ingredientes prontos, ou seja, longe da receita tradicional.

Hoje irei ensinar uma receita tradicional, e por ser assim, exige ingredientes de maior qualidade e atenção no passo a passo da execução da receita, porém o resultado final vale o esforço.

Além da receita do arroz piamontese, irei mostrar como  eu faço para preparar, temperar e grelhar o medalhão de filé mignon.

Para o arroz vocês irão precisar de:

  • 4 colheres de sopa de manteiga,
  • 1 colher de sopa de alho picado,
  • 1 cebola picada,
  • 2 xícaras de chá de arroz arbóreo,
  • 1 xícara de chá de vinho branco seco,
  • 200 gramas de cogumelo em fatias drenado,
  • 1 colher de sopa de manteiga (sim, é mais uma colher),
  • 1 lata de creme de leite,
  • 150 gramas de queijo parmesão ralado,
  • 2 litros de caldo de legumes.

Como fazer:

Numa panela alta em fogo alto coloquem 4 colheres de sopa de manteiga para derreter (figura 1), uma colher de sopa de alho picado (figura 2) e uma cebola picada (figura 3).

Figura 1 – É grande a quantidade de  manteiga, mas é necessário para dar cremosidade.

Figura 2 – Alho picado.

Figura 3 – Cebola picada.

Esperem por uns cinco minutos para que a manteiga derreta por completo e comece a dourar ligeiramente o alho e a cebola, em seguida abaixem o fogo e  incluam o arroz (figura 4).

Figura 4 – Observem que não deixei a manteiga secar por completo.

Mexam bem para que o arroz incorpore a todos os temperos da panela de maneira que ele fique bem “brilhoso”. Esse brilho é motivado pela manteiga e é um sinal de que o cozimento já se iniciou.

Quando perceberem que os grãos de arroz estão começando a grudar no fundo da panela, incluam a xícara de chá de vinho branco seco (figura 5) e misturem para que o vinho incorpore em todo o arroz.

Figura 5 – Vinho branco de qualidade para ajudar no cozimento e dar um aroma inigualável na cozinha.

Da mesma forma que antes, permaneçam mexendo até perceberem que os grãos de arroz estão começando a grudar no fundo da panela e quando isso ocorrer comecem colocar o caldo de legumes (figura 6).

Vocês podem utilizar o caldo de legumes artificial, aqueles vendidos em cubos que devem ser diluídos em água, mas sugiro vocês utilizarem o caldo de legumes ensinado aqui.

Figura 6 – Caldo de legumes natural é muito mais saboroso.

O Caldo de legumes deve ser colocado aos poucos, uma concha de cada vez e sempre que colocarem é necessário mexer bastante, pois a cremosidade do risoto se deve ao amido que se solta do arroz e quanto mais mexemos, mais amido é liberado.

Quando tiverem colocado metade do caldo no arroz, comecem a provar uns grãos para perceberem a textura. Quando o arroz estiver quase macio, coloquem o cogumelo em fatias (figura 7) misturando em toda panela e em seguida coloquem mais uma colher de sopa de manteiga (figura 8).

Figura 7 – coloquem o cogumelo drenado ou seja, sem a água.

Figura 8 – Aquela colher de manteiga para deixar ainda mais cremoso.

Meus amigos, o arroz está praticamente pronto, se vocês forem servir de imediato, coloquem o creme de leite (figura 9) e o queijo parmesão (figura 10) e sirvam. No entanto, se vocês ainda forem esperar as visitas chegarem, deixem para colocar esses últimos dois ingredientes somente na hora de servir.

Figura 9 – Creme de leite.

Figura 10 – É essencial que o queijo parmesão não seja aquele de “saquinho”.

Vocês podem estar achando estranho o fato de não ter colocado sal nesse arroz, porém fiz isso porque o caldo de legumes já possui sal em quantidade satisfatória e além dele, o queijo parmesão. No entanto, se o gosto de vocês for diferente, ou seja, mais salgado, coloquem um pouco mais de sal antes de incluírem o creme de leite.

Agora vou ensinar como faço meus medalhões. O segredo do sucesso dessa carne é o filé mignon, pois é uma carne extremamente macia, livre de gordura (por essa razão não é tão saborosa na minha opinião) e que quanto grelhada no ponto certo, fica maravilhosa.

Esse nome “medalhão” se deve ao fato do formato redondo da carne e também por seus bifes terem espessura aproximada de dois centímetros, ou seja, parecendo medalhas.

Para os medalhões vocês irão precisar de:

  • 6 medalhões de 2 cm de espessura de filé mignon,
  • 12 fatais de bacon em tiras,
  • Sal e pimenta a gosto, e
  • Molho madeira pronto.

Como fazer:

Separem um medalhão, uma ou duas fatias de bacon, um pedaço de barbante de aproximadamente 30 cm (figura 11). Em seguida envolva o medalhão com uma ou duas fatias de bacon e um pedaço do barbante (figura 12) e amarre (figura 13) de maneira que o bacon fique preso ao bife (figura 14).

Figura 11 – Bacon e medalhão.

Figura 12 – Se necessário dobre a fatia de bacon ao meio.

Figura 13 – Amarre sem a necessidade de arrochar.

Figura 14 – Amarre o suficiente para prender o bacon.

Com todos os medalhões prontos, ou seja, com as fatias de bacon amarradas, temperem com sal (figura 15) e pimenta (figura 16) a gosto.

Figura 15 – Sal a gosto.

Figura 16 – Pimenta a gosto.

Após preparar e temperar todos os medalhões, vamos grelhá-los! Numa frigideira em fogo alto coloquem um fio de azeite e coloquem três medalhões e grelhem por 3 a 5 minutos um lado (figura 17) depois o outro lado (figura 18). Retirem esses medalhões da frigideira reservando-os, incluam os outros e repitam o mesmo procedimento para grelhá-los.

Figura 17 – Fogo alto por três a cinco minutos.

Figura 18 – Olha como fica bem selada a carne.

Com todos os medalhões grelhados, coloquem novamente frigideiras os três medalhões que estavam reservados, incluam o molho de madeira pronto (figura 19), abaixem o fogo, tampem a frigideira e deixem o molho apurar por cinco minutos.

Figura 19 – Incluam o molho e deixem apurar.

Com arroz à piamontese pronto (já incluído o creme de leite) e os medalhões grelhadas e aquecidos no molho madeira, agora é só servir e degustar (figura 20). Não esqueçam de tirar o barbante antes de servir!

Figura 20 – Uma batata frita acompanha bem esse prato. Servidos?

NOTA: Quem acompanha meu blog sabe que não costumo usar molhos ou temperos prontos, porém o molho madeira é uma exceção. O molho madeira tradicional feito por chefs de cozinha além de levar ingredientes caros e de difícil acesso, podem demorar mais de dois para ser feito.

Como opção mais fácil e também saborosa, utilizo sempre o molho pronta da marca Master foods (figura 21), eles não são baratos como outras marcas, porém são definitivamente mais saborosos.

Figura 21 – Esse vale a pena.

VAMOS TENTAR?
AOS TALHERES!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.